Páginas

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

É Tarde



Risquei o fósforo...
Como cobra de fogo
Queimando a minha insensatez,
A pólvora arde.

A urgência me assalta,
Estendo as mãos...
(Mãos não há mais)!

Espantalho,
Perco a corrida,
Bruuumm!
É tarde!
É tarde!

Leide Borges  

3 comentários:

  1. Muito lindo! É tarde... mas, a urgência me assalta!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada minha querida amiga e poetisa, por ter me concedido essa linda poesia! beijos

    ResponderExcluir