Páginas

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Aprendi



Eu te amo, mas não quero te amar,

Quero sorrir, mas só sei chorar,

Tenho muito amor, mas não tenho a quem oferecer,

Sinto-me que já morri, mas ainda quero viver.

Sinto-me viva, às vezes penso que já o morri.

Quero desaparecer, mas não quero sumir.

 Sou poeta, mas não aprendi a escrever.

Guardei nas lembranças, coisas que queria esquecer.

Amei demasiadamente, alguém que não soube me querer.

Aprendi que as folhas caem, e a natureza chora,

Que o silencio trás reflexões, muitas vezes acalma os corações.

Que morrer de amor é viver em contradição,

Que viver amando, ainda é o melhor remédio ao coração.


Aprendi a ser eu, mesmo com meus fantasmas,

Eles já não me assuntam mais,

Que sou capaz de ser feliz com o pouco que possuo,

Deixar de amar, isso eu não sou capaz.

A vida me deu alturas, mas me lançou lá em baixo,

Sobrevivi todos os degraus caídos,

Em nome desse amor que grita dentro do meu peito,
Que tenho sobrevivido.

Mesmo sem querer, continuarei amando,

Desistir de te amar?
Isso é estar me matando.


Rosangela das Graças Schivei

Preserve os direitos autorais

Nenhum comentário:

Postar um comentário